Contato.png

Estética dentária

unnamed.jpg

O termo estética é comum na odontologia - mas na verdade há muito mais no conceito do que simplesmente algo que parece bom.

 

Em filosofia, estética é o estudo de valores subjetivos e sensório-emocionais, às vezes chamados de julgamentos de sentimentos e gostos.

 

Nesse sentido, podemos identificar um conceito central: subjetividade.

Um sorriso harmônico e saudável é o seu melhor cartão de visitas.

Compreender isso é crucial para entender a estética em um ambiente odontológico e de como isso afeta o sucesso do nosso trabalho. A subjetividade é um dos elementos mais importantes de qualquer bom trabalho odontológico - ou seja, levar em consideração as expectativas do paciente sobre o que é e o que não é um resultado estético bem-sucedido para a quela pessoa específica.

 

Por mais bonita que seja uma prótese bem acabada, se o paciente não estiver satisfeito, não teremos sucesso em nosso trabalho. Pode ser uma pílula amarga para engolir, especialmente depois de todo o trabalho árduo que foi colocado em qualquer trabalho - mas, no final das contas, é o paciente que deve estar feliz com seu novo sorriso.

É este conceito de estética que nós do INCOM oferecemos a você.

Como conseguir uma estética dental natural?


Simular a aparência estética dos dentes naturais é algo que todos os dentistas aspiram, mas conseguir isso não é de forma alguma uma tarefa simples. A aparência dos dentes pode ser atribuída à sua composição em camadas - dentina e esmalte - e à translucidez de cada camada individual. Para complicar ainda mais, o fato de que os dentes de dois pacientes não apresentam as mesmas propriedades estéticas; Eles são únicos. Como tal, pode ser difícil criar uma prótese que não apenas pareça natural, mas também se misture com os dentes restantes do paciente.

Graças às novas tecnologias e ao uso de materiais modernos, agora é possível ocultar a ausência de um ou mais elementos dentários com próteses de qualidade e com um efeito completamente natural.


Nosso objetivo é devolver a naturalidade à nossa vida social, garantindo uma mastigação correta e uma nutrição saudável. Se possível, quando o paciente não pretender enfrentar uma intervenção cirúrgica para implantar um implante, procederemos à reabilitação protética.

 

Quando falamos de reabilitações protéticas, podemos dividi-las em: fixas, geralmente cimentadas ou parafusadas em implantes; removíveis, incluindo próteses e dispositivos protéticos removíveis ou próteses parciais removíveis.


De qualquer forma, independentemente do tipo de prótese dentária que estejamos falando, essas próteses devem respeitar três características básicas e fundamentais:

image-9.jpg

•    Funcional para restabelecer as funções mastigatórias e fonéticas corretas
•    Resistente e duradoura por um longo período de tempo
•    Esteticamente agradável e natural para restabelecer a harmonia facial

No INCOM, trabalhamos com todos os tipos de reabilitação protética
 

 

Lente de Contato Dentária

1.png

As lentes de contatos dentárias são laminados ultrafinos utilizados para restabelecer a forma e estética dentária causando um desgaste mínimo nos dentes.

A busca pelo aperfeiçoamento do sorriso conta com aliados importantes no consultório odontológico. Entre esses recursos, estão as “lentes de contato dentárias“, expressão popular para uma tecnologia cujo nome técnico correto é “laminados cerâmicos”.


As lentes de contato dentárias possuem essa nomenclatura, pois são laminados cerâmicos ultrafinos que são aplicados sobre a superfície do dente após um preparo mínimo dos dentes que receberão o tratamento.

As lentes de contato dentária são utilizadas para recobrir manchas, corrigir imperfeições em um ou mais dentes, melhorar a forma de dentes desgastados e promover uma melhora na estética do sorriso. As lentes de contato podem alterar de forma impressionante o sorriso de uma pessoa e ajudam a melhorar sua autoconfiança.

O que é a lente de contato dentária?

Consiste em um laminado extrafino que é colado sobre a superfície externa dos dentes.

 

Por serem muito finas, são comparadas às lentes de contato ocular, daí o motivo de ter recebido esse nome.

Existem indicações precisas para a indicação das lentes de contato e um bom dentista saberá indicar quanto utilizá-las. 

3.jpg

As lentes de contatos dentárias recebem esse nome por serem comparadas em espessura às lentes de contato oculares.

De que as lentes de contato dentárias são feitas?

Existem dois tipos de lente de contato dentária: com resina ou a faceta de porcelana. A escolha do material dependerá dos objetivos do tratamento.

Como é feita a lente de contato dentária?

2.jpg

Primeiramente, o cirurgião-dentista deve entender os motivos que levaram o paciente a optar pelas lentes de contato dental e avaliar se este é, realmente, o procedimento mais vantajoso e adequado para o caso.

Caso o uso dos laminados seja válido, o profissional analisa a forma e a cor ideal das lentes de contato dentais para cada paciente, visto que o laminado deve combinar com o rosto, os lábios e a personalidade da pessoa.

 

Com isso, se dá início ao tratamento passando pelas fases de preparo dos dentes, mock-up (consiste numa espécie de modelo prévio da reabilitação final para avaliar a adaptação do paciente), produção, cimentação.

As lentes de contatos dentárias devem combinar com o rosto, os lábios e a personalidade da pessoa.

4.jpg

Quem pode usar as lentes de contato dentárias?

 

O tratamento com lente de contato dentária somente é indicado para pequenas correções estéticas de posicionamento, tamanho, formato, volume, textura ou cor que não foram resolvidas por outros tratamentos.


Grandes desvios estéticos, como dentes tortos, ainda precisam de um tratamento ortodôntico prévio. É também muito importante que a estrutura dentária que irá receber as lentes, esteja saudável e resistente.
Então, o mais comum é que a lente de contato seja utilizada para corrigir:

  • Afastamento: fechamento avantajado de espaços entre dentes, que são diastemas

  • Tamanho: aumento de comprimento e largura dos dentes

  • Textura: correções na textura dos dentes desgastados

  • Forma: correção de dentes quebrados ou lascados

  • Cor: alterações de manchas ou cores escurecidas

Quanto tempo dura a lente de contato dentária?

 

As lentes de contato dentária têm boa durabilidade, mas os cuidados que o paciente deve ter com elas são imprescindíveis para a longevidade.

 

A duração está diretamente ligada à manutenção da higiene oral adequada, e visitas periódicas ao cirurgião-dentista, podendo durar até 10 anos.


Alguns hábitos podem encurtar a duração das “lentes”: é o caso de roer unhas, morder alimentos ou objetos duros e consumir excessivamente produtos capazes de provocar manchas.

 

Clareamento Dental

1.jpg

O clareamento dental é o processo de clarear a cor dos dentes naturais. O clareamento geralmente é desejável quando os dentes ficam amarelados ao longo do tempo por várias razões e pode ser alcançado alterando a cor intrínseca ou extrínseca do esmalte dentário.

O peróxido de hidrogênio é o ingrediente ativo mais comumente usado em produtos de clareamento e é entregue como peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida. 

O clareamento dentário ocorre através de uma reação química e deve ser monitorado de perto pelo seu dentista.

O peróxido de hidrogênio é análogo ao peróxido de carbamida, pois é liberado quando o complexo está estável em contato com a água. Quando se difunde no dente, o peróxido de hidrogênio atua como um agente oxidante que se decompõe para produzir radicais livres instáveis.

 

Nos espaços entre os sais inorgânicos no esmalte dos dentes, esses radicais livres instáveis ​​se ligam a moléculas de pigmento orgânico, resultando em componentes pequenos e menos fortemente pigmentados. Refletindo menos luz, essas moléculas menores criam um "efeito clareador".

 

Para que o tratamento clareador seja bem-sucedido, você deverá ser diagnosticado corretamente, para então haver a indicação do tratamento, tipo, intensidade e o local de clareamento dentário.

 

A exposição ao tempo e a concentração do composto clareador determina o ponto final do clareamento dental.O clareamento dental é uma técnica que pode ser feita de três formas distintas: no consultório com o seu dentista, em casa com o uso de uma moldeira específica, ou uma combinação entre ambos.

 

O clareamento dos dentes é um procedimento pouco invasivo e que pode ser justamente o que você está procurando para dar aquele Up na autoestima!

Por que fazer o clareamento dental?

 

Dentes manchados ou amarelados costumam ser um verdadeiro incômodo para quem sonha com um sorriso bonito. No decorrer da vida, somos expostos a inúmeros corantes que podem levar à pigmentação dos dentes. Desta forma, o clareamento dental é a melhor forma de restabelecer a cor inicial dos dentes, recuperando assim aquela vontade de sorrir novamente.

 

Para quem o clareamento dental é indicado?
 

Não existem muitas barreiras que impeçam o paciente de realizar o clareamento dental, desde que toda a cavidade bucal esteja em um bom estado de saúde. As contraindicações normalmente são para pacientes que possuam problemas bucais como cáries, doenças periodontais e lesões dentárias.
 

Nele, são utilizados produtos à base de peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida, que, quando em contato com a superfície dos dentes, conseguem quebrar as moléculas pigmentadas, dissociando-as em moléculas menores e deixando o dente mais claro.

 

Dentes brancos trazem de volta a confiança e elevam a autoestima em um piscar de olhos.

2.png

O clareamento dental é uma forma de melhor a aparência que recuperam a autoestima e a vontade de sorrir novamente.

Outro ponto importante a ser destacado é que o clareamento dos dentes, apesar de muitas vezes ser algo procurado pelos próprios pacientes, é um procedimento que deve ser indicado e acompanhado por um profissional especialista da área.

O que esperar do resultado?


A grande maioria dos pacientes fica bastante satisfeito com o resultado, afinal, a sensação de dentes extremamente limpos e livres de manchas é impagável.

 

O consumo de cigarros e de alimentos com grandes concentrações de corante, como é o caso do café e do vinho, podem acabar manchando os dentes e prejudicando o processo do clareamento.

 

Portanto, é importante seguir à risca as orientações do seu dentista após o procedimento para que tudo saia conforme o planejado.
 

Tipos de Clareamento Dental

Clareamento interno x externo

 

A diferença entre eles é que o clareamento interno costuma ser indicado para dentes que passaram por um tratamento de canal. Dessa forma, a substância clareadora é colocada dentro do dente pelo profissional.


Quanto ao externo, é quando a técnica é realizada por fora do dente. Pode ser feito no consultório ou em casa realizado pelo paciente com auxílio de moldeiras confeccionadas por seu dentista nas quais se coloca o produto clareador.
 

3.jpg

O clareamento dental pode ser feito interna ou externamente, seu dentista irá avaliar e determinar a indicação deles.

clareamento-dental-1200x480.jpg

O clareamento dental geralmente é realizado em consultório, sendo supervisionado pelo seu dentista.

Clareamento no consultório

O clareamento é geralmente feito no próprio consultório odontológico por um dentista especialista.

 

É realizado por meio de produtos químicos, dos quais o principal é o peróxido de hidrogênio, cuja determinação é feita pelo profissional de acordo com cada caso.

Clareamento caseiro


Apesar de muita gente se deixar levar por métodos encontrados na internet sem orientação profissional alguma, é preciso ter muito cuidado.

 

A utilização de produtos como bicarbonato de sódio ou água oxigenada, além de não serem nada eficientes, podem trazer sérios danos aos dentes e à gengiva. Usa-se uma moldeira e gel clareador para a realização do procedimento.

 

A moldeira é um dispositivo de silicone feito sob medida pelo profissional, de forma que se encaixa perfeitamente na arcada dentária do paciente.

 

Nela, se aplica o gel clareador que vai entrar em contato com os dentes por um período que pode variar de 30 minutos à uma hora. Normalmente, o tratamento costuma durar cerca de três semanas.

 

Sensibilidade dentária e clareamento


Aquela dorzinha aguda ao consumir alimentos com temperaturas muito extremas é um dos sintomas da sensibilidade dentária, condição bastante comum e que pode ser uma consequência do clareamento dental, daí a necessidade de uma supervisão profissional.
 

Por que isso acontece?


Vários fatores podem estar associados à sensibilidade nos dentes, principalmente se essa condição já existia antes do tratamento há algum tempo.

 

No entanto, quando se trata da sensibilidade causada pelo clareamento dental, é preciso levar em conta a interferência de elementos mais específicos.

 

Os níveis de concentração do peróxido de hidrogênio presente no gel clareador e o tempo que esse gel fica em contato com a superfície dentária podem influenciar bastante no processo.

5.jpg

O clareamento causa uma desmineralização superficial do esmalte dentário, sendo um dos motivos para que a sensibilidade apareça.

Cuidados com os dentes sensíveis


Um quadro de sensibilidade precisa de atenção e alguns cuidados, afinal ninguém quer os dentes doendo. Para isso, utilizamos um protocolo personalizado de clareamento, que visa impedir que desconfortos venham a ocorrer.

 

No INCOM, contamos também com protocolos para tratamentos de sensibilidade dentária, sejam eles decorrentes do clareamento ou até mesmo, sensibilidade que o paciente já tenha apresentado anteriormente

Desenho Digital do Sorriso - DSD

 
1.jpg

A reabilitação dos dentes deve ser feito de forma planejada e individualizada, sendo o desenho digital do sorriso uma forma de realizar esse planejamento que inclui diversos aspectos físicos e até psicológicos do paciente.

O Digital Smile Design (DSD) é uma ferramenta multiuso de tratamento e planejamento conceitual dental que é usado em odontologia estética para fortalecer a visão de diagnóstico, melhorar a comunicação e aumentar a previsibilidade ao longo do tratamento.


O conceito é baseado na análise de proporções faciais e dentais para adquirir o conhecimento de relacionamento dos dentes, gengivas, lábios, sorriso, características faciais e realizar o planejamento do sorriso.

Assim que é digitalmente aprovado pelo paciente, ele pode ser transferido e testado esteticamente na boca do paciente por meio de um modelo criado por um técnico dental utilizando a mesma análise calculada. Isso permitirá que o paciente tenha uma nova experiência estética, funcional e emocional com um novo sorriso, aumentando assim a sua confiança no processo e aceitação do tratamento proposto.

O conceito DSD visa ajudar o paciente em três aspectos do tratamento:

  1. Melhorar o planejamento estético e o design do sorriso – melhorando a visualização de problemas estéticos do paciente e dar insights sobre possíveis soluções.

  2. Melhorar a comunicação entre o paciente e o dentista e sua equipe.

  3. Aprimorar o processo de decisão com o paciente – envolvendo-os visualmente no projeto do sorriso e processo de decisão de acordo com suas vontades e desejos. A questão fundamental é: o que o paciente poderá expressar sua opinião no tratamento, favorecendo um projeto que irá harmonizar com os aspectos morfológicos e estéticos do mesmo.

2.jpg