Buscar
  • Dr. Andre Ribeiro

Cirurgia Ortognática: quando é indicada e como funciona o procedimento

Atualizado: Abr 13




A cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico de alinhamento da mandíbula e da maxila e seu objetivo é corrigir a posição do maxilar, queixo e gengiva, para tratar distúrbios da mordida, respiratórios e da face. Apesar de ser uma cirurgia funcional, ela também interfere na estética facial, pois, após a cirurgia a face fica com uma proporção mais harmônica, que a torna mais bonita.


O procedimento consiste na combinação de tratamento em tratamento ortodôntico e cirurgia. Enquanto a cirurgia trata de corrigir o erro de posicionamento dos maxilares, a ortodontia trabalha na movimentação dos dentes e seu encaixe. O tratamento ortodôntico é necessário para que a posição dos dentes seja corrigida, na maioria das vezes antes, e em algumas situações depois da cirurgia. Em alguns casos, também é necessário tratamento ortodôntico após a cirurgia.


Quando a cirurgia ortognática é indicada?


A cirurgia é indicada para pessoas que apresentam desarmonia facial, que causam problemas que afetam a saúde e o bem-estar do paciente e compromete a harmonia e beleza do rosto.


Ela é geralmente indicada nos pacientes que têm padrões faciais desarmônicos como na Classe II ou Classe III, nos casos de sorriso gengival de causa esquelética, na mordida aberta, na apneia do sono e uma outra série de condições faciais. O tratamento é feito para que a estrutura óssea e dentária chegue à Classe I, que é o posicionamento correto.


Os pacientes que se encaixam na Classe II, são aqueles que apresentam “queixo pequeno”, ou seja, a parte superior do maxilar é posicionada para frente. Os pacientes classificados como Classe II são os que apresentam “queixo grande”, pois, a parte inferior do maxilar é projetada para frente.


Pacientes com sorriso gengival, mostram muito a gengiva e podem ter dificuldade de fechar os lábios de forma confortável. Os pacientes com mordida aberta anterior, podem apresentar alterações verticais e transversais dos ossos da face e não conseguem fechar os dentes da frente, com dificuldades até para cortar alimentos.


Como funciona o tratamento da cirurgia ortognática?


Antes de realizar a cirurgia, o paciente deve fazer uma consulta com um Cirurgião Buco-Maxilo-Facial para fazer uma análise do caso. O Dr. André Ribeiro é Cirurgião-Buco-Maxilo-Facial do INCOM e explica que “o cirurgião será capaz de realizar o diagnóstico e explicar os benefícios, riscos e etapas do tratamento orto-cirúrgico”.


Uma documentação ortodôntica geralmente é necessária para analisar as necessidades de correções e planejar o tratamento ortodôntico e cirúrgico na fase inicial.


O tratamento se inicia com o preparo dos dentes através de aparelho ortodôntico, e após o período necessário, que varia em cerca de 8 a 12 meses, planeja-se a cirurgia ortodôntica. Nesta fase, uma série de exames são solicitados e um planejamento virtual 3D é realizado, possibilitando que o paciente veja a simulação dos resultados e assim possa definir possa definir junto com o cirurgião o que mais lhe agrada.


Quanto custa a Cirurgia Ortognática?


Por se tratar de uma cirurgia funcional, a cirurgia é coberta pela grande maioria dos planos de saúde médicos, o que reduz enormemente e pode até zerar os custos para o paciente. O Dr. André explica que “seu cirurgião saberá te informar os passos de como conseguir o tratamento e poderá te dar todas as informações necessárias”. O cirurgião explica que em sua clínica o INCOM – Instituto de Cirurgia Oral e Maxilofacial, por exemplo, trabalha com a maioria dos planos médicos na região de Belém e estado do Pará como a Unimed, Bradesco Saúde, Sulamérica, Amil, IASEP, entre outros.


Como é feita a cirurgia ortognática?


O procedimento é feito por dentro da boca na maioria das vezes, portanto, ele não deixa cicatrizes. Ele dura cerca de 4 horas e o paciente deve permanecer internado por 24 horas. Após a cirurgia, é possível retornar as atividades leves em duas semanas e atividades mais intensas após 4 semanas.


O Dr. André Ribeiro relata que desde que começou a aplicar conceitos de cirurgia minimamente invasiva na cirurgia ortognática, tem observado uma rápida recuperação dos pacientes, e assim contribuído para um retorno às atividades rotineiras de seus pacientes em curto período. Caso queiram conhecer um pouco mais sobre a cirurgia ortognática, você pode visitar a página do INCOM e também conversar com membros de sua equipe.

2 visualizações0 comentário